terça-feira, 30 de maio de 2017

Município de Braga instala sistema inovador de monitorização da qualidade ambiental

Projecto desenvolvido em parceria com o grupo dst.
O Município de Braga, em parceria com o Grupo dst, apresentou esta Terça-feira, 30 de Maio, uma solução inovadora de monitorização de qualidade ambiental para controlar as águas fluviais, a atmosfera e a intensidade sonora.
O projecto consistiu na colocação de nove sensores no perímetro urbano da Cidade, que permitem monitorizar de forma contínua, autónoma e em tempo real as condições ambientais, facilitando a detecção de problemas de degradação do meio ambiente assim como uma rápida intervenção, em caso de necessidade. Para além do impacto na qualidade de vida da população, esta solução apresenta-se como um factor de dissuasão de comportamentos ambientalmente menos responsáveis.
Para o presidente da Câmara Municipal de Braga, Ricardo Rio, este projecto um conjunto de compromissos fundamentais assumidos pelo actual Executivo Municipal, desde logo a valorização do meio ambiente e a criação de uma Cidade Inteligente.
“Queremos ser um espaço de inovação, não apenas do ponto de vista das políticas públicas mas, sobretudo, de criação de condições para que a acção municipal seja um laboratório vivo do conhecimento, do empreendedorismo e dos negócios que são gerados em Braga”, sustentou o Edil, sublinhando o pioneirismo deste projecto que poderá ser replicado noutros concelhos do País.
Os nove sensores ficam localizados na Rua Cidade do Porto, na Avenida Frei Bartolomeu dos Mártires, Avenida General Carrilho da Silva Pinto, Rua Frei Caetano Brandão, Rua Conselheiro Januário, Avenida Padre Júlio fragata, Rua Max. Grundig e Rua Padre Armando Lira. Segundo Ricardo Rio, o objectivo passa por aumentar o número de sensores existentes e a diversidade de informação ambiental.
Esta solução de monitorização, desenvolvida pela Innovation Point, empresa de investigação e desenvolvimento do Grupo dst, implicou a instalação de uma rede de comunicação instalada no Monte Picoto que interliga a uma rede de sensores, garantindo uma elevada cobertura e um consumo energético muito reduzido.
As sondas que controlam a qualidade da água, do ar e da intensidade sonora fornecem informação actualizada o que permite traçar padrões e detectar as causas que mais contribuem para a poluição.
A qualidade do ar será monitorizada tendo em conta diversos parâmetros, nomeadamente os níveis de monóxido de carbono, dióxido de nitrogénio e ozono. Já as sondas que controlam os índices de intensidade sonora fornecerão elementos sobre os períodos de maior poluição ao longo do dia.
No que se refere à vigilância da qualidade da água, esta será realizada através da leitura de vários parâmetros qualitativos, entre os quais o ph, a condutividade, o oxigénio dissolvido, o potencial de redução e a temperatura. As sondas de qualidade da água do rio Este, instaladas entre Gualtar e Ferreiros, foram desenvolvidas especificamente para este projecto e caracterizam-se por serem auto-suficientes energeticamente.
Este projecto conjuga várias competências internas das empresas do grupo dst, nomeadamente ao nível do desenvolvimento de soluções de sensorização e monitorização (innovationpoint), engenharia civil e gestão ambiental (dst, s.a.), sistemas de comunicação (dstelecom), instalação (dte, i.e). Esta intervenção global e complementar permite uma abordagem diferenciadora às cidades inteligentes, acelerando a integração de soluções e diminuindo o risco da sua implementação.
José Teixeira, presidente do Conselho de Administração do grupo dst, considera que “apesar da integração de várias tecnologias avançadas nesta solução, o seu desenho tem sido fundamentalmente inspirado pela utilidade para as pessoas e pela simplicidade da sua utilização”.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.