domingo, 30 de abril de 2017

Ana Margarida de Carvalho recebeu prémio literário em Esposende

O Município de Esposende entregou hoje o Prémio Literário Manuel de Boaventura à escritora Ana Margarida de Carvalho que concorreu com o romance "Não se pode morar nos olhos de um gato". A cerimónia decorreu no Fórum Municipal Rodrigues Sampaio, em Esposende, ante a presença do presidente da Câmara Municipal, Benjamim Pereira e a vereadora da Cultura, Jaqueline Areias, os membros do júri, Sérgio Guimarães de Sousa, da Universidade do Minho, e António Manuel Ferreira, da Universidade de Aveiro. Em representação da família de Manuel de Boaventura marcou presença João Armando Boaventura e Silva.
O presidente da Câmara Municipal de Esposende assinalou um "momento histórico" para o município, lembrando o papel que as autarquias têm na defesa da cultura e, continuam a não ver esse esforço reconhecido. “É incompreensível a demora da entrega do Forte de S. João Baptista, local para onde temos um importante projeto e onde queremos guardar um acervo importantíssimo. De igual modo é incompreensível que o Ministério da Cultura não tenha aprovado a candidatura do Castro de S. Lourenço, apesar de a candidatura ter sido apresentada pela Direção Regional de Cultura do Norte”, protestou Benjamim Pereira.
Esses entraves não vão parar a aposta do Município de Esposende no aprofundamento e divulgação cultural. “A homenagem a Manuel de Boaventura compreende, ainda, a reedição da sua obra e a aquisição da sua residência, onde ficará importante acervo”, anunciou Benjamim Pereira.
Ana Margarida de Carvalho reconheceu que "a melhor forma de homenagear um escritor é instituindo um prémio literário com o seu nome" e dedicou o prémio a todos os escritores. A este prémio concorreram 113 autores.
Sérgio Guimarães de Sousa, em nome do júri, reconheceu o facto de a vida e obra do escritor esposendense ser "pouco conhecida na historiografia literária, porque confinado a uma região, da qual deixou testemunho competente". O professor da Universidade do Minho vincou que esta primeira edição do prémio literário Manuel de Boaventura procurou "dignificar o seu autor, mas também procurou tornar este momento marcante, do ponto de vista literário. Por isso entregamos o prémio Boaventura a uma grande autora".
Por seu turno, António Manuel Ferreira, da Universidade de Aveiro e também membro do júri, destacou a "complexa rede de referências culturais que estão na base da escrita de Ana de Margarida de Carvalho".
João Armando Boaventura e Silva, representando a família do autor que dá nome ao prémio lembrou Manuel de Boaventura e os contos que este colocava no sapatinho, por altura do Natal e agradeceu à Câmara de Esposende. “Terem dado o nome à biblioteca e instituir o prémio literário com nome do nosso familiar, merece a nossa gratidão e apreço, por enaltecerem a memória de alguém que nos é querido”.
O Prémio Literário Manuel de Boaventura foi criado com o intuito de homenagear e divulgar este escritor e homem de cultura, natural de Vila Chã, Esposende. No valor pecuniário de 7 500 euros, o Prémio tem periodicidade bienal, contemplando a modalidade da criação narrativa de Romances ou de Contos da autoria de escritores de língua portuguesa.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.